Investigado por fake news, Luciano Hang agora diz que não é bolsonarista

Em entrevista à revista Veja, Luciano Hang defendeu-se do bloqueio de sua conta no Twitter determinada pelo STF por causa das fake news espalhando uma série de fake news. Disse que não é bolsonarista e garantiu não ter empréstimos públicos, o que não é verdade

Luciano Hang e Jair Bolsonaro
Luciano Hang e Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário Luciano Hang concedeu entrevista à revista Veja, postada nesta sexta-feira (31), na qual ele protesta pelo bloqueio de sua conta no Twitter determinada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) devido à profusão de fake news. A entrevista é, entretanto, recheada de fake news. A primeira é negar que seja bolsonarista: “Não sou bolsonarista como dizem”.

Na entrevista, ele apresentou-se como “um ativista, um patriota, querendo um país livre e com economia mais liberal”. Foi adiante e afirmou peremptoriamente: “Nem dinheiro emprestado tenho com o governo. Nessa pandemia, fiz questão de não pegar nenhum valor de bancos públicos, para não vincularem meu nome ao governo. Não tenho empréstimo na Caixa nem no BB. Nada.”

Tudo fake news. Luciano Hang e sua Havan obtiveram, só no BNDES, entre 1993 e 2014, nada menos que 55 empréstimos, totalizando, em valores atualizados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais de R$ 72 milhões.“Patriota”, ele está na mira da Receita Federal: deve ao menos R$ 57,9 milhões. Há ainda R$ 13,2 milhões em cobrança pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e mais R$ 123 milhões parcelados pelo último Refis (programa de repactuação de dívidas tributárias). Ele é também alvo de processo por sonegação de contribuições previdenciárias cometida pela Havan. Em 2003, Hang foi condenado em segunda instância por crime semelhante. A Receita Federal cobra da Havan o valor de R$ 1.052.000,00, entre contribuições e multas. O processo é de 2013. Com correção dos valores, é cobrado da empresa o montante de R$ 2.486.973,20.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247