Relatório da PF sobre Salles descreve "grave esquema criminoso de caráter transnacional"

PF denuncia em relatório um "grave esquema criminoso de caráter transnacional", envolvendo Ricardo Salles e servidores do Ibama com o tráfico internacional e ilegal de madeiras

(Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A Polícia Federal denunciou em relatório que serviu de base à operação da manhã desta quarta-feira (19), um "grave esquema criminoso de caráter transnacional" envolvendo o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e servidores do Ibama. O grupo é acusado de corrupção e tráfico internacional de madeiras. 

Segundo reportagem da coluna Radar, do portal Veja, a decisão de 63 páginas assinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, baseia-se em parte no relatório da Polícia Federal, partiu da declaração de Ricardo Salles sobre “passar a boiada”, na famosa reunião ministerial de abril de 2020. No relatório, a PF aponta atos do ministros e de servidores do seu núcleo duro no Ministério do Meio Ambiente e do Ibama que teriam favorecido empresários envolvidos no contrabando de produtos florestais.

Na decisão, Moraes cita trecho do relatório indica a “existência de grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais o qual teria o envolvimento de autoridade com prerrogativa de foro nessa Suprema Corte, no caso, o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo de Aquino Salles; além de servidores públicos e de pessoas jurídicas. Os principais servidores públicos envolvidos seriam: Walter Mendes Magalhães Júnior, Olivandi Alves Azevedo Borges, João Pessoa Riograndense Moreira Júnior, Rafael Freire de Macedo, Eduardo Fortunato Bim, Olímpio Ferreira Magalhães, Leslie Nelson Jardim Tavares, André Heleno Azevedo Silveira, Artur Vallinoto Bastos, Leopoldo Penteado Butkiewicz e Wagner Tadeu Matiota”.

PUBLICIDADE

A PF diz no relatório que é “evidente que o interesse privado de alguns poucos empresários reincidentes na prática de infrações ambientais como demonstraremos mais adiante, foi colocado à frente do interesse público”.

“A situação que se apresenta é de grave esquema criminoso de caráter transnacional. Esta empreitada criminosa não apenas realiza o patrocínio do interesse privado de madeireiros e exportadores em prejuízo do interesse público, notadamente através da legalização e de forma retroativa de milhares de carregamentos de produtos florestais exportados em dissonância com as normas ambientais vigentes entre os anos de 2019 e 2020 mas, também, tem criado sérios obstáculos à ação fiscalizatória do Poder Público no trato das questões ambientais com inegáveis prejuízos a toda a sociedade”, segue a PF.

PUBLICIDADE

Saiba mais 

A Polícia Federal faz na manhã desta quarta-feira (19) uma operação contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e funcionários da pasta e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).  Eles são acusados de corrupção ao facilitar a exportação ilegal de madeira. A ação atinge também o presidente do Ibama, Eduardo Bim. O ministro e o presidente do Ibama tiveram seus sigilos bancário e fiscal quebrados e há ações de busca e apreensão em seus endereços, do Ministério e do Ibama.

Segundo a coluna Painel, a decisão também suspendeu um despacho do Ibama, de 2020, que, de acordo com a PF, permitia a exportação de produtos florestais sem a emissão de autorizações.

PUBLICIDADE

Os mandados foram autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Além das buscas, a Corte determinou o afastamento preventivo de dez agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e no Ministério do Meio Ambiente (MMA), entre eles Eduardo Bim. 

Inscreva-se na TV 247, seja membro e assista ao nosso boletim sobre o tema:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email