CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

X, de Elon Musk, tira Brasil da lista de países onde permite anúncios políticos

Prazo de 60 dias para as plataformas se adequarem às novas regras do Tribunal Superior Eleitoral termina nesta semana

Imagem Thumbnail
Perfil de Elon Musk na rede social X (antigo Twitter) (Foto: Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

InfoMoney - O Brasil foi retirado da lista de países nos quais o X (antigo Twitter diz permitir anúncios políticos. Pelo menos até a última terça (29), o país ainda estava no rol de nações em que eram permitidos “anúncios de conteúdo político”, não constando apenas na listagem de permissão para “anúncios de campanha política”. Agora, o Brasil não está em nenhuma das duas opções de publicidade. As informações são do UOL.

A mudança ocorreu na mesma semana em que vence o prazo para as plataformas se adequem às novas regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que tornam obrigatória a disponibilização de repositório de anúncios de conteúdo político eleitoral pelas empresas que oferecem este tipo de serviço.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A reportagem lembra que a corte deu um prazo de 60 dias, a contar da data em que a resolução passou a vigorar, o que ocorreu em 1º de março.

A mudança no X também ocorre semanas depois do embate do empresário Elon Musk com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do TSE, Alexandre de Moraes.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O dono da rede X acusou o magistrado de censura e ameaçou descumprir ordens judiciais no Brasil. Por isso, se tornou alvo de investigação em inquérito da corte

O X passou a permitir anúncios políticos no Brasil em 2023. Musk fechou a compra da empresa no final de 2022 e tem feito desde então uma série de mudanças, tendo inclusive demitido boa parte da equipe que fazia moderação de conteúdo. Isso tem gerado críticas de especialistas sobre a circulação de desinformação eleitoral na plataforma.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na última semana, o Google já havia anunciado que deixaria de permitir a veiculação de anúncios políticos no Brasil via Google Ads, o que inclui o YouTube, também por conta da resolução do TSE.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO