Negociações com a China avançam e governo de São Paulo espera receber insumos para Coronavac na próxima semana

As negociações com a China avançaram para liberar parte dos 11 mil litros do princípio ativo da vacina que vem para o Brasil. Relação de Bolsonaro com a China tem atrapalhado a liberação

Instituto Butantan e CoronaVac
Instituto Butantan e CoronaVac (Foto: Marcos Santos/USP Imagens | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo do estado de São Paulo e o Instituto Butantan estimam que na próxima semana recebam da China 5,4 mil litros de insumo para a produção da CoronaVac

Por meio deste insumo Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), é possível produzir mais 5,5 milhões de doses da CoronaVac, que se juntariam às 6 milhões que começaram a ser distribuídas nesta segunda-feira (19).

Segundo o blog da jornalista Julia Duailibi, do G1, as negociações com a China avançaram para liberar parte dos 11 mil litros do princípio ativo da vacina que vem para o Brasil. "As conversas com os chineses andaram nas últimas horas, daí o otimismo de integrantes do governo paulista", afirmou a jornalista.

Membros do alto escalão do governo Jair Bolsonaro admitem que a relação conturbada do País com a China tem impedido a importação de insumos para a produção das vacinas contra o coronavírus.

De acordo com o diretor do instituto, Dimas Covas, carregamento de matéria-prima estava pronto para ser despachado, mas ainda dependia de autorização do governo chinês para ser enviado ao Brasil. 

Na manhã desta terça-feira (19), Dimas Covas pediu que Jair Bolsonaro tenha "dignidade" para defender a vacina e interceder na liberação do insumo da China. "Se a vacina agora é do Brasil, o nosso presidente tenha a dignidade de defendê-la e de solicitar, inclusive, apoio, pro seu Ministério de Relações Exteriores na conversa com o governo da China. É o que nós esperamos”, afirmou Covas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email