'Bolsonaro entrou de vez na mira da CPI', diz Randolfe sobre corrupção na compra da Covaxin

"O foco agora é ele", disse o vice-presidente da CPI após as revelações feitas pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) sobre o caso de corrupção na compra superfaturada da vacina indiana Covaxin

www.brasil247.com - Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros
Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros (Foto: Agência Senado | Reuters)


247 - Vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou à CNN Brasil nesta quarta-feira (23) que após as revelações feitas pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) sobre o caso de corrupção na compra superfaturada da vacina indiana Covaxin, Jair Bolsonaro "entrou de vez" na mira da comissão.

"O presidente agora entrou de vez na investigação. O foco agora é ele. Ficou evidente que providências não foram tomadas, o contrato foi firmado. Chegamos à nova fase. O inimigo agora é outro. As outras frentes já estão confirmadas. O alvo agora é outro", declarou o parlamentar.

Sobre as revelações de Miranda, o senador afirmou: "esse depoimento indica que a coisa é muito mais grave. Imaginávamos que era omissão e prevaricação. Mas vemos que houve ação deliberada para não fechar contatos de vacinas mais eficazes. Às custas da vida de brasileiros e para lucrar com isso, optaram por uma vacina menos eficaz".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email