Receita envia à CPI quebra de sigilo fiscal de Francisco Maximiano, dono da Precisa

A Precisa Medicamentos foi a empresa que intermediou as negociações de compra da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução | Edilson Rodrigues/Agência Senado)


247 - A Receita Federal encaminhou nesta segunda-feira (28) à CPI da Covid, segundo Guilherme Amado, do Metrópoles, os dados obtidos a partir da quebra dos sigilos fiscais de Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos

A empresa é a representante brasileira do laboratório indiano Bharat Biotech, apontado como parte do possível esquema de corrupção na compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde.

Maximiano presta depoimento à comissão na quinta-feira (1). A Precisa Medicamentos foi a empresa que intermediou as negociações de compra da vacina Covaxin. A empresa cresceu 6.000% no governo Bolsonaro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na semana passada, o empresário entrou com habeas corpus junto ao STF pelo "direito de se retirar" da CPI. Maximiano informou que irá à CPI da Covid, seguindo a convocação dos senadores, mas pediu que lhe sejam resguardados seus direitos como investigado, dentre eles o de se ausentar da sessão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email