Lira negocia com Paulo Skaf e manifesto da Fiesp e Febraban sairá só após 7 de setembro

Presidente da Câmara, Arthur Lira, atua mais uma vez em favor dos interesses de Jair Bolsonaro ao negociar adiamento do manifesto dos empresários e banqueiros pelo fim da crise institucional

www.brasil247.com - Arthur Lira e Paulo Skaf
Arthur Lira e Paulo Skaf (Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputado | Agência Brasil | FIESP)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 -247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que o manifesto da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), apoiado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em defesa da harmonia entre os Poderes, não deverá ser divulgado esta semana. Segundo Lira, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, teria concordado em adiar o lançamento para depois do 7 de setembro, quando Bolsonaro organiza mobilização a favor de seu governo e de um golpe contra as instituições. A informação é de O Globo.

“Conversei com Skaf neste domingo e como não tem um prazo para a divulgação do manifesto, ficou combinado que não será nesta semana. Vai aguardar as comemorações do 7 de setembro”, disse Lira. “A nota não é da Febraban, é da Fiesp com a participação de mais de 200 entidades do setor produtivo. Virou uma nota da Febraban com reflexos para a Caixa Econômica Federal e para o Banco do Brasil desproporcional aos seus interesses”, ressaltou o parlamentar. 

A declaração faz referência às ameaças feitas pela Caixa e Banco do Brasil em deixar a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que representa as instituições financeiras no país, por conta do manifesto que pede a pacificação entre os três Poderes e o fim da crise institucional. A desfiliação dos bancos públicos teria sido avalizada por Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

PUBLICIDADE

O presidente da comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), porém, disse que os bancos são alvos de interferência política  e que pretende apresentar requerimento cobrando explicações do ministro Paulo Guedes, além dos presidentes da Caixa, Pedro Guimarães e do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email