CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

Nísia se une a Camilo contra plano da área econômica de desvincular gastos com Saúde e Educação

As pastas da área econômica avaliam que a vinculação aos pisos como exceção à regra pode levar a um aumento de despesas

Nísia Trindade (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A ministra da Saúde, Nísia Trindade, vai se opor à ideia dos ministérios da área econômica de desvincular os gastos em Saúde do piso constitucional de 15% da receita da União. O ministro da Educação possui a mesma visão. Camilo Santana. No caso do MEC, o piso estabelecido é de 18%.

As pastas da área econômica avaliam que, como o novo arcabouço fiscal estabelece travas para os gastos, a vinculação aos pisos como exceção à regra pode levar a um aumento de despesas que dificultaria o equilíbrio das contas públicas. Por isso, cogitam mudar o cálculo a partir de 2025.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Minha posição clara é a importância de ter recuperado o orçamento da Saúde. O presidente Lula colocou claramente no programa de governo a importância de termos investimentos em Saúde. Sou a favor da manutenção da vinculação e vou conversar com meus colegas de ministério”, afirmou a ministra ao jornal O Globo.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO