HOME > Entrevistas

"Respeito e avalio todas as críticas, mas não as feitas pela extrema direita", diz Glauber Braga

Deputado Glauber Braga comenta sobre críticas e confrontos políticos

(Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados | Reprodução )

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) comentou sobre recentes confrontos políticos e críticas direcionadas a ele, enquanto o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados iniciou um processo disciplinar para investigar sua conduta após um incidente com um militante do Movimento Brasil Livre (MBL).

Na terça-feira (16), Braga se envolveu em uma discussão acalorada com Gabriel Costenaro, membro do MBL, nas dependências da Câmara dos Deputados. O embate, que também incluiu o deputado federal Kim Kataguiri (União-SP), um dos fundadores do movimento de direita, resultou em empurrões e chutes entre os envolvidos. A situação exigiu a intervenção dos policiais legislativos para conter o conflito.

O Partido Novo, autor da representação ao Conselho de Ética, solicitou a perda do mandato de Braga, alegando violação das normas de decoro parlamentar. O parlamentar do PSOL refutou as acusações, afirmando que "Costenaro teria ofendido sua mãe" e acusando o militante de buscar confronto com membros do PSOL para ganhar visibilidade política.

Enquanto isso, Braga também abordou outros episódios de confronto político, destacando uma escalada de violência com membros da extrema direita. Ele ressaltou a diferença entre críticas construtivas, vindas da esquerda e da imprensa, e ataques da extrema direita, que ele rejeita categoricamente.

"O que eles querem é colocar em prática uma lógica onde a esquerda sai ou foge acuada das intervenções que eles fazem", disse Braga, referindo-se aos confrontos com membros da extrema direita.

O deputado mencionou o histórico do MBL em promover confrontos em diferentes locais, incluindo universidades, escolas e hospitais, e defendeu a necessidade de reverter esse cenário. Ele destacou que essas ações têm como objetivo intimidar e acumular prestígio político.

O caso segue em análise pelo Conselho de Ética, que deverá determinar as medidas cabíveis diante das acusações e evidências apresentadas, enquanto Braga reafirma seu compromisso em responder às críticas e defender suas posições políticas, reiterando sua recusa em aceitar ataques vindos da extrema direita.

Assista: 

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados