Facieto pede impeachment da presidente Dilma

A Federação de Associações Comerciais e Empresariais do Tocantins (Facieto) divulgou uma carta aberta para pedir o impeachment da presidente Dilma; “Todos presenciamos uma crise sem precedentes na ética, na política, na governabilidade, na economia e, sobretudo, a crise social” , começa a carta aberta da Facieto, que critica a inércia na tomada de decisão tanto do Executivo, quanto do Congresso; “Produz a instabilidade que tem emperrado as decisões empresariais e a vida das empresas”, disse; assinam o documento o presidente e vice, Pedro Ferreira e Fabiano do Vale, respectivamente

A Federação de Associações Comerciais e Empresariais do Tocantins (Facieto) divulgou uma carta aberta para pedir o impeachment da presidente Dilma; “Todos presenciamos uma crise sem precedentes na ética, na política, na governabilidade, na economia e, sobretudo, a crise social” , começa a carta aberta da Facieto, que critica a inércia na tomada de decisão tanto do Executivo, quanto do Congresso; “Produz a instabilidade que tem emperrado as decisões empresariais e a vida das empresas”, disse; assinam o documento o presidente e vice, Pedro Ferreira e Fabiano do Vale, respectivamente
A Federação de Associações Comerciais e Empresariais do Tocantins (Facieto) divulgou uma carta aberta para pedir o impeachment da presidente Dilma; “Todos presenciamos uma crise sem precedentes na ética, na política, na governabilidade, na economia e, sobretudo, a crise social” , começa a carta aberta da Facieto, que critica a inércia na tomada de decisão tanto do Executivo, quanto do Congresso; “Produz a instabilidade que tem emperrado as decisões empresariais e a vida das empresas”, disse; assinam o documento o presidente e vice, Pedro Ferreira e Fabiano do Vale, respectivamente (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - A Federação de Associações Comerciais e Empresariais do Tocantins (Facieto) divulgou, nesta terça-feira (29), uma carta aberta para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Todos presenciamos uma crise sem precedentes na ética, na política, na governabilidade, na economia e, sobretudo, a crise social” , começa a carta aberta da Facieto, que critica a inércia na tomada de decisão tanto do Executivo, quanto do Congresso Nacional. “Produz a instabilidade que tem emperrado as decisões empresariais e a vida das empresas”, disse.

De acordo com a Facieto, a busca de recursos que possam trazer uma “economia sustentável” demanda soluções rápidas para impedir que o que a crise se aprofunde. “Essas soluções precisam restaurar a normalidade democrática e garantir a punição exemplar a todos os envolvidos” , acrescenta.

Para a entidade, a renúncia de Dilma seria “um gesto de magnitude”. “Abreviando o cenário de incerteza que o Brasil vive e que vem agravando de forma comovente o quadro econômico e social”. A federação ainda avisa que vai acompanhar o posicionamento dos parlamentares tocantinenses.

Assinam o documento o presidente e vice, Pedro Ferreira e Fabiano do Vale, respectivamente.

A atual situação econômica que Brasil vive está gerando muita preocupação a toda a população, que depende do seu próprio trabalho para garantir o sustento.Sejam empregados ou empresários, todos presenciamos uma crise sem precedentes na ética, na política, na governabilidade, na econômica e, sobretudo, a crise social.

A inércia na tomada de decisão que envolve Governo e Congresso produz a instabilidade que tem emperrado as decisões empresariais e a vida das empresas, levando a um processo de perecimento que se aprofunda rapidamente e que já atinge, de forma cruel, a classe trabalhadora e as famílias.Empresários adiam investimentos e novos empreendedores aguardam momentos menos incertos para iniciar seus projetos.

A busca de recursos que possam trazer uma economia sustentável, geradora de novos empregos, produtos, materiais e serviços, onde o investimento volte a ocorrer, requer que sejam implementadas soluções rápidas para impedir que a economia e o quadro social continuem a se deteriorar e também evitar que as instituições sejam comprometidas. Essas soluções precisam restaurar a normalidade democrática e garantir a punição exemplar de todos os envolvidos nos casos de corrupção. Defendemos a implementação de novas correlações de força, visão e ação política, sustentadas pelo debate franco com a sociedade sobre as escolhas que teremos que fazer para superar a estagnação e os retrocessos econômicos e sociais.

Para tanto, solicitamosà presidente Dilma que, em um gesto de magnitude, renunciasse ao cargo, propiciando assim, a busca de um entendimento que permitisse mudar o quadro lamentável que o País atravessa e evitando o processo de impeachment que retardará o fim da crise.

No entanto, as últimas atitudes do governo demonstram que não haverá renúncia, pelo menos no curto prazo, o que nos leva agora a solicitar à Câmara dos Deputados e a todo Congresso Nacional, que tenham mais agilidade no processo de impeachment,abreviando o cenário de incerteza que o Brasil vive e que vem agravando de forma comovente o quadro econômico e social.

A atual situação econômica do país pode ser revertida, mas se depender apenas dos empreendedores, sem a colaboração do governo, fica impossível. A FACIET ­ Federação das Associações Comerciais Empresarias do Estado do Tocantins e as Associações Comerciais do Estado do Tocantins irão acompanhar o posicionamento dos parlamentares durante o processo e manterão os empresários e a população informados da atuação dos mesmos. Acreditamos na força e na vontade dos empresários em melhorar nosso país, por isso, estaremos empenhados em levantar nossa voz.

com a palavra de ordem das Associações Comerciais: IMPEACHMENT JÁ.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247