'Tocantins não fechou os olhos para o Brasil'

O governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), reforçou a importância da parceira entre o executivo estadual e o Banco da Amazônia; cerca de R$ 600 milhões serão investidos, verba que, segundo o chefe do executivo, "devem ser dimensionadas, especialmente, pelo efeito que deve provocar na vida dos produtores e empreendedores que acreditam no potencial deste estado: dos menores aos maiores. Sem a participação do segmento produtor, isso aqui não teria nenhum sentido"; "Oficializar mais essa parceria significa que o Tocantins não fechou os olhos para o Brasil. Pelo contrário, reafirma o nosso compromisso em busca de alternativas que reforcem a nossa economia", disse ele

O governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), reforçou a importância da parceira entre o executivo estadual e o Banco da Amazônia; cerca de R$ 600 milhões serão investidos, verba que, segundo o chefe do executivo, "devem ser dimensionadas, especialmente, pelo efeito que deve provocar na vida dos produtores e empreendedores que acreditam no potencial deste estado: dos menores aos maiores. Sem a participação do segmento produtor, isso aqui não teria nenhum sentido"; "Oficializar mais essa parceria significa que o Tocantins não fechou os olhos para o Brasil. Pelo contrário, reafirma o nosso compromisso em busca de alternativas que reforcem a nossa economia", disse ele
O governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), reforçou a importância da parceira entre o executivo estadual e o Banco da Amazônia; cerca de R$ 600 milhões serão investidos, verba que, segundo o chefe do executivo, "devem ser dimensionadas, especialmente, pelo efeito que deve provocar na vida dos produtores e empreendedores que acreditam no potencial deste estado: dos menores aos maiores. Sem a participação do segmento produtor, isso aqui não teria nenhum sentido"; "Oficializar mais essa parceria significa que o Tocantins não fechou os olhos para o Brasil. Pelo contrário, reafirma o nosso compromisso em busca de alternativas que reforcem a nossa economia", disse ele (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - O governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), reforçou a importância da parceira entre o executivo estadual e o Banco da Amazônia. Cerca de R$ 600 milhões serão investidos, verba que, segundo o chefe do executivo, "devem ser dimensionadas, especialmente, pelo efeito que deve provocar na vida dos produtores e empreendedores que acreditam no potencial deste estado: dos menores aos maiores. Sem a participação do segmento produtor, isso aqui não teria nenhum sentido".

“Oficializar mais essa parceria significa que o Tocantins não fechou os olhos para o Brasil. Pelo contrário, reafirma o nosso compromisso em busca de alternativas que reforcem a nossa economia", disse ele.

De acordo com o governador, o executivo vem trabalhando para viabilizar alternativas para vencer os desafios enfrentados no campo. "A vitória será conduzida por elementos que fazem parte do nosso cotidiano. A nossa vontade de trabalhar, a força do associativismo, do nosso cooperativismo, dos setores industriais e de serviços. Temos, ainda mais, a força do agronegócio a nosso favor", afirmou.

O chefe do executivo estadual afirmou que as sementes da assinatura do protocolo serão semeadas no Tocantins inteiro. "Os resultados do que iremos colher devem ultrapassar as fronteiras deste País".

O presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Gonçalves de Melo, comentou sobre o potencial do estado para receber o investimento. De acordo com ele, “temos florestas plantadas, uma piscicultura que está se iniciando, uma cadeia do frango, temos esmagadora de soja com capacidade para 600 mil toneladas/ano".

"Temos logística, energia, todas as condições necessárias para que o estado possa crescer. O Estado é o melhor da região para investimento. Tenho certeza que os empresários que estarão aqui saberão aproveitar as oportunidades.  Sei do potencial dos tocantinenses e do Estado, por isso tenho essa confiança", disse.

Gonçalves falou sobre a estiagem que atinge o Tocantins e tem prejudicado a produção agrícola. Segundo Marivaldo, membros do banco irão conversar com as entidades envolvidas no setor para discutir as melhores medidas. "Para que a gente possa renegociar e atender tanto ao banco quanto os produtores. E assim a gente continue com essa situação favorável da aplicação de crédito no Tocantins", complementou.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247