Bruno Pereira relatou 'perigo' e 'perfil autoritário' da gestão da Funai

"É a administração do caos", acrescentou o indigenista

www.brasil247.com - Jornalista Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira (chapéu)
Jornalista Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira (chapéu) (Foto: Ministério da Defesa/Divulgação via REUTERS)


247 - Em sua última passagem pela Floresta Amazônica, em 22 de abril, o indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai) Bruno Pereira relatou um trabalho "difícil, cansativo, perigoso", além de ter criticado o "perfil autoritário" da gestão de Marcelo Xavier na instituição. 

"Destruir por dentro [a Funai] e arrumar aliados que mantenham a fachada que eles precisam", continuou o indigenista em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. "É a administração do caos. Não sei não [suspiro]".

O governo de Jair Bolsonaro (PL) barrou concursos para a Funai, que tem o menor número de funcionários desde 2008. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O indigenista foi assassinato no dia 5 na Amazônia, junto com o jornalista inglês Dom Phillips. Perícias encontraram e confirmaram os restos mortais das duas vítimas. Nesta semana, Oseney da Costa confessou para a Polícia Federal que ele e seu irmão, Amarildo dos Santos, o "Pelado", cometeram o crime. Um terceiro suspeito se entregou à Polícia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atos espalhados pelo Brasil pediram Justiça para Bruno Pereira e Dom Phillips. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email