Dias: Lula fará decreto para cuidar de forma emergencial dos índios ianomâmi e terá o apoio das Forças Armadas

De acordo com o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, o governo federal pretende formar um comitê com representantes de quatro ministérios

www.brasil247.com - Luiz Inácio Lula da Silva (gravata vermelha); Sônia Guajajara, ministra dos Povos Indígenas; Wellington Dias, titular do Desenvolvimento Social; Forças Armadas e uma terra indígena ianomâmi, na Amazônia
Luiz Inácio Lula da Silva (gravata vermelha); Sônia Guajajara, ministra dos Povos Indígenas; Wellington Dias, titular do Desenvolvimento Social; Forças Armadas e uma terra indígena ianomâmi, na Amazônia (Foto: ABR)


247 - O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias, informou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está elaborando um decreto para cuidar dos índios ianomâmi, que vivem na Amazônia. Dias afirmou que o governo federal pretende formar um comitê com representantes de quatro ministérios - Povos Indígenas, da Saúde, da Justiça e Desenvolvimento Social. De acordo com o titular da pasta, as Forças Armadas ajudarão nas ações para a proteção dos nativos. A entrevista foi publicada pelo portal Uol. O presidente Lula visitará neste sábado (21) o estado de Roraima, onde vivem os indígenas.

Números da plataforma Sumaúma apontaram que 570 crianças ianomâmi com menos de 5 anos morreram de causas evitáveis durante o governo de Jair Bolsonaro (PL). 

>>> Paulo Pimenta: chances de Bolsonaro sair ileso são mínimas

O apoio das Forças Armadas (FFAA) acontece em um contexto no qual Lula afina as articulações com militares para a discussão de projetos estruturais e, em consequência, investimentos nas FFAA. Autoridades do Judiciário investigam várias pessoas, dentre elas alguns militares, por envolvimento nos atos golpistas do último dia 8 em Brasília. O ministro da Defesa, José Múcio, afirmou que, em reunião nesta sexta, comandantes e o presidente trataram de projetos. 

Em referência aos indígenas, Dias afirmou que representantes do governo querem "tratar de forma emergencial aquilo que necessita de atenção emergencial, integrado com Estado, municípios, a presença das Forças Armadas, Ministério da Justiça e Segurança". 

>>> Braço direito de Bolsonaro pagava contas do clã presidencial com dinheiro vivo e operava “caixa paralelo”, diz site

"Fazendo o diagnóstico e dando a atenção: hospital de campanha, medicamentos, alimentação e equipes de profissionais", complementou o ministro Wellington Dias, que também citou o "problema de desnutrição, fome, saúde, muito grave nessa região".

A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, confirmou a visita de Lula. "A pedido do presidente @LulaOficial visitaremos amanhã a Terra Indígena Ianomâmi para uma ação interministerial de emergência. Nossos parentes ianomâmi enfrentam uma crise humanitária e sanitária. É inadmissível ver nossos parentes morrerem de desnutrição e fome".

A Fundação Nacional do Povos Indígenas (Funai) e da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) darão apoio às ações do governo.


Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247