Na Cúpula da Amazônia, Lula defende combinar ‘proteção ambiental e geração de empregos’

Presidente Lula destacou que, para resolver os problemas da região, “precisamos reconhecer que ela também é um lugar de carência socioeconômica histórica”


Belém (PA), 08.08.2023 - Presidente Lula participa da reunião dos Chefes de Estado e de Governo dos países signatários do Tratado de Cooperação Amazônica (TCA), em Belém (PA)
Belém (PA), 08.08.2023 - Presidente Lula participa da reunião dos Chefes de Estado e de Governo dos países signatários do Tratado de Cooperação Amazônica (TCA), em Belém (PA) (Foto: Ricardo Stuckert/PR)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu início à Cúpula da Amazônia em Belém nesta terça-feira, enfatizando a necessidade de um modelo de desenvolvimento que equilibre a proteção ambiental e a criação de empregos. O encontro congrega líderes dos oito países que formam a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e visa à assinatura de uma declaração que estabelecerá compromissos para a conservação da Floresta Amazônica.

A reunião conta com a presença de Lula e outros quatro chefes de Estado das nações amazônicas: Gustavo Petro, da Colômbia; Luis Arce, da Bolívia; Dina Boluarte, do Peru; e Mark Phillips, da Guiana. No entanto, Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, Guillermo Lasso, do Equador, e Chan Santokhi, do Suriname, optaram por não comparecer ao evento.

continua após o anúncio

Lula destacou os propósitos do encontro, afirmando: "Nesta ocasião, temos três objetivos principais. Primeiramente, buscaremos discutir e fomentar uma nova perspectiva de desenvolvimento sustentável e inclusivo na região, harmonizando a preservação ambiental com a criação de empregos dignos e a salvaguarda dos direitos das populações que habitam a Amazônia. Será essencial unir a conservação ambiental com a inclusão social, o apoio à pesquisa científica, tecnológica e inovação, o estímulo à economia local, o combate ao crime transnacional, além do reconhecimento e valorização dos povos indígenas, das comunidades tradicionais e de seus conhecimentos ancestrais." >>> Petro ataca Lula e defende fim da exploração de petróleo

Ele também enfatizou a intenção de fortalecer o papel dos países que possuem florestas tropicais nas discussões globais, abrangendo desde ações contra as mudanças climáticas até reformas no sistema financeiro internacional.

continua após o anúncio

Após a abertura oficial da Cúpula, representantes da sociedade civil apresentarão suas demandas aos líderes governamentais, com o objetivo de influenciar a Declaração de Belém. Esse documento abrangerá os compromissos das nações em relação à preservação da floresta. >>> Lula diz estudar "prêmio" a prefeituras da Amazônia que evitarem queimadas e desmatamento

Durante o dia, Lula terá um almoço com os chefes de Estado e lançará o documento resultante da Cúpula. Além disso, ele está programado para se reunir bilateralmente com Luis Arce, presidente da Bolívia.

continua após o anúncio

O presidente brasileiro reiterou a importância de reconhecer a histórica carência socioeconômica da região como parte fundamental para resolver seus problemas. "É imperativo compreender que a preservação não pode ser concebida sem o reconhecimento dos diversos desafios estruturais enfrentados por esta região", sublinhou Lula. Ele também voltou a enfatizar a ideia de financiamento proveniente de nações mais ricas como um meio de abordar os desafios enfrentados.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247