HOME > Mídia

Imprensa neoliberal tenta desgastar Lula e Janja com o tema do aborto

Veículos de comunicação e colunistas vinculados ao neoliberalismo usam o tema para tentar minar a popularidade do presidente Lula

Lula e Janja (Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Veículos de comunicação da imprensa corporativa e colunistas vinculados ao neoliberalismo têm feito uma campanha aberta de desgaste do presidente Lula (PT) e da primeira-dama, Janja, em relação ao chamado "PL do estupro", que tramita na Câmara dos Deputados. De autoria do deputado federal bolsonarista Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), o projeto visa equiparar o aborto depois da 22ª semana de gravidez ao crime de homicídio. Na versão original da proposta, a mulher que realizasse aborto após o tempo estipulado poderia pegar uma pena maior do que a do próprio estuprador.

Proposto por um parlamentar de oposição e apoiado por tantos outros também de oposição, a imprensa tenta minar a popularidade do presidente e da primeira-dama diante do assunto, oferecendo um beco sem saída: se silenciarem, estariam apoiando de forma velada o "PL do estupro"; por outro lado, se protestarem contra o projeto, ganham a alcunha de "abortistas". Em entrevista à GloboNews, o deputado evangélico Cezinha de Madureira (PSD-SP) resumiu a estratégia adotada pela imprensa e pela oposição para atacar o governo: se Lula “vetar um assunto como esse, ele está dizendo que é um assassino".

Vale lembrar que os deputados da base do governo têm se colocado frontalmente contra o projeto, enquanto os bolsonaristas comemoram o avanço da pauta.

Além disso, a imprensa ignora o fato de que Lula e Janja estão no exterior, em viagem para participar de uma conferência na Organização Internacional do Trabalho (OIT) e de uma reunião de cúpula do G7. O próprio presidente disse a jornalistas que trataria sobre o "PL do estupro" ao retornar ao Brasil. “Você acha que não é justo, acabei de sair de uma palestra, vir falar de uma coisa que está sendo discutida na Câmara? Deixa eu voltar para o Brasil, tomar pé da situação e aí você pergunta e eu falo com você”.

Ainda que Lula não tenha se manifestado, os ministros Silvio Almeida, dos Direitos Humanos, e Cida Gonçalves, das Mulheres, criticaram publicamente a proposta em tramitação. Almeida, por exemplo, afirmou que o projeto é “vergonhosamente inconstitucional, pois fere o princípio da dignidade da pessoa humana e submete mulheres violentadas a uma indignidade inaceitável”.

 

 

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados