Jornal Nacional usa saída da Ford do Brasil para reforçar argumentos de Guedes

Telejornal da Globo escalou economistas para fazer o discurso de que a receita para o crescimento é ‘cortar mais’ e fazer reformas, a fim de reduzir o custo-Brasil. Confira repercussões na internet

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após a Ford anunciar o fechamento de suas fábricas no Brasil, o Jornal Nacional reforçou na noite desta segunda-feira (11) o discurso neoliberal do Ministério da Economia, de Paulo Guedes, a favor de reformas, "mais cortes" e pela redução do custo-Brasil, condições para que a empresa ficasse no País, de acordo com a linha da reportagem.

No Twitter, internautas criticaram o principal telejornal da Globo por "passar pano" para a destruição de empregos que esse modelo econômico provoca e por "bater palmas" para Guedes, trazendo a mesma opinião de diferentes "especialistas". Confira algumas repercussões:




 

 

Contexto

Desde o golpe contra Dilma Rousseff, em 2016, passou a vigor no Brasil uma agenda neoliberal, baseada no corte de direitos trabalhistas e sociais, além de congelamento de investimentos. O argumento dos neoliberais é o de que é necessário reduzir custos para a geração de empregos. A medida, no entanto, não surtiu efeitos nos últimos anos. 

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 14,6% no trimestre encerrado em setembro e atingiu um novo recorde, de acordo com dados da Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São mais de 14 milhões de desempregados

Sobre a Ford, "a Associação dos Fabricantes, a Anfavea, disse que respeita e lamenta a decisão da Ford e que isso 'corrobora o que a entidade vem alertando há mais de um ano sobre a ociosidade local, global e a falta de medidas que reduzam o Custo Brasil'", informou a reportagem do JN

"A Confederação Nacional da Indústria vai na mesma linha e diz que o fechamento da fábrica é um alerta para a necessidade de aprovar medidas que reduzam o Custo Brasil, entre elas a reforma tributária", acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247