Justiça nega direito de resposta de Lula no JN

A ação que o ex-presidente abriu para ter nove minutos no Jornal Nacional como direito de resposta após matéria que noticiou a abertura de denúncia contra ele pelo Ministério Público de São Paulo foi negada pela Justiça; o Instituto Lula acusou o telejornal de ter usado um e-mail de jornalista da Globonews, canal fechado da emissora, apagando o logo, para tentar provar que Lula teria sido procurado pelo JN antes de reportagem ofensiva

A ação que o ex-presidente abriu para ter nove minutos no Jornal Nacional como direito de resposta após matéria que noticiou a abertura de denúncia contra ele pelo Ministério Público de São Paulo foi negada pela Justiça; o Instituto Lula acusou o telejornal de ter usado um e-mail de jornalista da Globonews, canal fechado da emissora, apagando o logo, para tentar provar que Lula teria sido procurado pelo JN antes de reportagem ofensiva
A ação que o ex-presidente abriu para ter nove minutos no Jornal Nacional como direito de resposta após matéria que noticiou a abertura de denúncia contra ele pelo Ministério Público de São Paulo foi negada pela Justiça; o Instituto Lula acusou o telejornal de ter usado um e-mail de jornalista da Globonews, canal fechado da emissora, apagando o logo, para tentar provar que Lula teria sido procurado pelo JN antes de reportagem ofensiva (Foto: Gisele Federicce)

247, com Infomoney - A ação que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva abriu para ter nove minutos no Jornal Nacional como direito de resposta após matéria que noticiou a abertura de denúncia contra ele pelo Ministério Público de São Paulo foi negada pela Justiça.

Segundo informações da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o juiz Fernando de Oliveira Domingues Ladeira, de São Bernardo do Campo, diz que "a afirmação do autor [Lula] de que não lhe foi dada a oportunidade de manifestar-se antes da matéria ir ao ar não autoriza o direito de resposta".

O Instituto Lula acusou o telejornal de ter usado um e-mail de jornalista da Globonews, canal fechado da emissora, apagando o logo, para tentar provar que Lula teria sido procurado pelo JN antes de reportagem ofensiva. A Globo tinha dito como resposta que não se negou a ouvir Lula e que divulgou na íntegra a nota do Instituto Lula e de seus defensores sobre o tema.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247