Lula defende que Biden convoque G20 para debater vacinação global contra Covid

Em entrevista à jornalista Christiane Amanpour, da CNN Internacional, o ex-presidente revelou estar pedindo ao presidente dos EUA que convoque uma reunião do G20 para garantir a distribuição adequada da vacina em todo o mundo (vídeo)

www.brasil247.com - Lula e Joe Biden
Lula e Joe Biden (Foto: PT.org / Reuters)


247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista à jornalista Christiane Amanpour, da CNN Internacional, fez um apelo ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para que ele convoque uma reunião do G20 a fim de garantir a distribuição adequada de vacinas contra a Covid-19 para toda a população mundial.

No trecho do programa divulgado no Twitter por Amanpour (assista abaixo), Lula relata ter ficado sabendo que os Estados Unidos têm vacinas além do suficiente e que as doses que não forem utilizadas poderiam ser distribuídas para outros países, como o Brasil ou países ainda mais pobres que o Brasil, que não podem comprar.

“Então uma coisa que eu gostaria de pedir ao Biden, através do seu programa, é que é muito importante que ele chame uma reunião do G20 urgentemente. Que ele chame os principais líderes do mundo e coloque na mesa um único problema: vacina, vacina, vacina!. A responsabilidade dos líderes internacionais é tremenda”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lula acrescenta: “Eu estou pedindo isso para o presidente Biden porque eu não acredito no meu governo. E eu não poderia pedir isso [de] Trump, mas Biden é um sopro de democracia no mundo”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em outro trecho da entrevista, Lula reforçou sua candidatura a presidente em 2022. “Se meu partido e os outros partidos aliados entenderem que eu poderia ser o candidato, e se estiver bem, posso garantir que não negarei esse convite”, afirmou.

Assista ao momento em que Lula manda seu recado a Biden:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Exportação de vacinas

Nesta segunda-feira (16), o presidente da Comissão Europeia, Charles Michel, defendeu a União Europeia (UE) de acusações de "nacionalismo vacinal" e denunciou o Reino Unido, que recentemente deixou o bloco, e os Estados Unidos por terem imposto uma "proibição total" à exportação de imunizantes produzidos nos países.

O New York Times explicou o que está por trás da acusação: "Os EUA também têm segurado, por meio de um mecanismo de guerra chamado Lei de Produção de Defesa, que dá ao governo controle sobre a produção industrial. Biden prometeu que todos os americanos adultos terão uma dose até maio".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email