Sara Winter pode ser presa por ter exposto dados de menina de 10 anos que foi estuprada

A divulgação viola o Artigo 17 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que preserva a identidade da criança

A militante fascista Sara Giromini (Winter)
A militante fascista Sara Giromini (Winter) (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ativista de extrema direita Sara Winter pode ser presa novamente. Agora, por ter exposto dados da criança de dez anos que engravidou após ser estuprada durante quatro anos. Winter publicou em redes sociais, no domingo (16), o nome da menina, bem como o endereço do hospital em que ela estava internada para fazer o aborto. O local foi alvo de protesto da extrema direita contra o aborto. O grupo foi expulso por movimentos de mulheres.

A divulgação feita por Sara Winter viola o Artigo 17 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que preserva a identidade da criança. O ato da fascista também viola o Artigo 286 do Código Penal, que proíbe incitar publicamente a prática de crime. A Justiça já determinou que os posts de Sara sejam apagados das redes.

"Se o ministro Alexandre de Moraes entender que é o caso de decretar novamente a prisão preventiva, ele pode pedir com base no perigo à ordem pública", explica o advogado João Paulo Martinelli, doutor em Direito Penal pela USP, ao site Universa. "E o fato de alguém responder por um crime e praticar outro, principalmente incitação a um crime, que é contra a paz pública, pode fundamentar a decretação da prisão." 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247