HOME > Mundo

Morte de Raisi não vai parar o mundo multipolar, diz Pepe Escobar

Correspondente afirma que Rússia, China e Irã não permitirão que os "suspeitos de sempre" desestabilizem qualquer um de seus parceiros

Pepe Escobar e Ebrahim Raisi (Foto: Brasil 247 / Reuters)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Em meio ao choque pela trágica morte do presidente iraniano Ebrahim Raisi, o analista geopolítico Pepe Escobar afirma que este evento não irá interromper o movimento em direção a um mundo multipolar, liderado por Rússia, China e Irã, em post no seu Telegram.

No domingo à noite, o helicóptero que transportava Raisi e seu ministro das Relações Exteriores, Hosein Amir Abdolahian, caiu em terreno montanhoso sob condições climáticas adversas na província do Azerbaijão Oriental. A equipe de resgate enfrentou dificuldades devido ao clima frio e ao terreno desafiador, encontrando os destroços apenas nas primeiras horas da segunda-feira. Todos os ocupantes morreram no acidente.

O líder supremo do Irã, Ayatollah Ali Khamenei, garantiu que não haverá interrupção nos assuntos de estado, reforçando a estabilidade governamental apesar da perda do presidente e de seu ministro das Relações Exteriores. Essa estabilidade é crucial num momento em que o Irã enfrenta crescente dissidência interna e pressão internacional devido ao seu programa nuclear e laços militares com a Rússia.

Pepe Escobar, conhecido por suas análises incisivas sobre geopolítica, destacou a importância do Irã no contexto global atual. Segundo Escobar, a integração da Eurásia e o avanço em direção a um mundo multipolar estão sendo conduzidos por três atores principais: Rússia, China e Irã. Ele afirma que estes três países são vistos como ameaças existenciais pelos Estados Unidos, mas sua colaboração está mais forte do que nunca.

Escobar relata que, após o acidente, o presidente russo Vladimir Putin convidou o embaixador iraniano na Rússia, Kazem Jalali, para uma reunião de emergência com a elite da Defesa russa. Estavam presentes figuras chave como o até recentemente ministro da Defesa, Sergey Shoigu, e o chefe do Estado-Maior, Valery Gerasimov. Esta reunião simboliza o forte apoio da Rússia ao Irã, indicando que Moscou está comprometida em garantir a continuidade e a estabilidade do governo iraniano.

"Estamos mergulhados em uma guerra híbrida total, beirando o confronto direto em várias partes do planeta", disse Escobar. Ele enfatiza que Rússia, China e Irã estão interligados por parcerias estratégicas bilaterais e por sua participação em organizações como o BRICS e a Organização de Cooperação de Xangai (SCO). Após a recente reunião entre Putin e Xi Jinping em Pequim, está claro que esses três países não permitirão que os "suspeitos de sempre" desestabilizem qualquer um de seus parceiros.

A morte de Raisi, portanto, embora seja um golpe significativo para o Irã, não representa um obstáculo insuperável para o movimento em direção a um mundo multipolar. A integração e a cooperação entre Rússia, China e Irã continuam a se fortalecer, sinalizando uma nova era nas relações internacionais, onde a hegemonia unipolar está sendo desafiada por uma aliança robusta e resiliente.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados