OEA denuncia "vandalismo" contra o Capitólio: "ataque ao funcionamento democrático"

"A OEA condena e repudia o atentado contra as instituições que está ocorrendo no dia de hoje nos Estados Unidos por manifestantes que desconsideram os recentes resultados eleitorais"

(Foto: Reprodução | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Secretaria-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) publicou, nesta quarta-feira, 6, um comunicado sobre a invasão do Capitólio, sede do Legislativo dos Estados Unidos, por apoiadores de Donald Trump (Republicano) para impedir a certificação eleitoral de Joe Biden (Democrata) pelo Congresso.

A OEA “condena e repudia o atentado contra as instituições que está ocorrendo no dia de hoje nos Estados Unidos por manifestantes que desconsideram os recentes resultados eleitorais”.

“A Democracia tem seu pilar fundamental na independência dos Poderes do Estado, que devem atuar completamente livres de pressão”, afirma a nota. “O exercício da força e do vandalismo contra as instituições constitui um grave ataque contra o funcionamento democrático”, continua.

“Urge recuperar a racionalidade necessária e encerrar o processo eleitoral de acordo com a Constituição e os procedimentos institucionais correspondentes”, concluiu a OEA.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu que os manifestantes que invadiram o Capitólio voltem para suas casas para restaurar a paz. Porém, ele não foi incisivo, uma vez que ele reforçou o argumento que levou os seus apoiadores ao Capitólio, ao ressaltar novamente que as eleições teriam sido fraudadas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247