Putin determina que todos os países que impuseram sanções à Rússia paguem pela energia em rublos a partir de amanhã

Presidente da Rússia exige que compradores abram contas em bancos russos para facilitar os pagamentos. Medida afeta diretamente a Alemanha

www.brasil247.com - Presidente da Rússia, Vladimir Putin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: Reuters)


247 com RT - O presidente Vladimir Putin definiu o pagamento de gás russo em rublos para compradores de países que impuseram sanções à Rússia em conexão com a Ucrânia. A medida afeta diretamente a Alemaha, que depende do gás russo.

Putin assinou um decreto nesta quinta-feira exigindo que esses compradores abram contas em bancos russos para facilitar os pagamentos. A medida entra em vigor a partir de 1º de abril.

>>> Cotação do rublo volta ao nível anterior à guerra – o que comprova a ineficácia das sanções

A lista inclui Estados Unidos e Canadá, Estados da UE, Reino Unido (incluindo Jersey, Anguilla, Ilhas Virgens Britânicas, Gibraltar), Ucrânia, Montenegro, Suíça, Albânia, Andorra, Islândia, Liechtenstein, Mônaco, Noruega, San Marino, Macedônia do Norte, e também Japão, Coreia do Sul, Austrália, Micronésia, Nova Zelândia, Cingapura e Taiwan (considerado território da China, mas governado por sua própria administração desde 1949). 

Os países e territórios mencionados na lista impuseram ou aderiram às sanções contra a Rússia após o início de uma operação militar especial das Forças Armadas Russas na Ucrânia. 

Em atualização

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email