HOME > Mundo

Recep Erdogan: 'Biden terá de provar que o seu desejo por cessar-fogo em Gaza não é eleitoreiro'

Segundo o presidente turco, 'uma resolução da ONU não é suficiente, para acabar com o massacre de palestinos. 'Biden está passando por teste de sinceridade'

Recep Tayyip Erdoğan (à esq.) e Joe Biden (Foto: Reuters/Kevin Lamarque)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Agência Sputnik - O Presidente turco diz que seu homólogo americano está passando por um "teste de sinceridade" ao comentar a resolução por um cessar-fogo no enclave, elaborada pelos EUA e aprovada no Conselho de Segurança da ONU.

O presidente dos EUA, Joe Biden, terá de provar que seu posicionamento em relação ao cessar-fogo na Faixa de Gaza não é meramente um investimento eleitoral, mas sim um desejo sincero de resolver o problema.

É o que declarou o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em coletava a jornalistas na Itália, após a cúpula do G7, na qual comentou a resolução elaborada pelos EUA sobre o tema recentemente aprovada no Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU).

"Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU é um passo, mas não é suficiente. Sabemos quantas decisões do Conselho no papel são ignoradas por Israel. Biden está agora passando por teste de sinceridade", disse Erdogan.

O presidente turco acrescentou que "os EUA estão preocupados com a crescente arrogância", embora o governo Biden "não tenha expressado abertamente o seu descontentamento".

"As vozes públicas nas universidades americanas, nas ruas, entre estudantes e reitores mostram que uma certa transformação começou. E isso preocupa seriamente Israel", acrescentou.

Erdogan enfatizou que o reconhecimento do Estado palestino pelos membros do CSNU pode mudar o clima de violência no Oriente Médio, culpou a ONU pelos entraves à resolução do conflito entre Israel e o Hamas, e afirmou que se a organização deseja restaurar sua reputação, esta é uma "excelente oportunidade".

"Ao deter Israel, você não só trará a paz a Gaza, mas também colocará fim aos ataques israelenses ao sistema da ONU, ao direito internacional e aos direitos humanos. Essa responsabilidade recai, em primeiro lugar, sobre os ombros dos membros do Conselho de Segurança da ONU. Se não queremos que a ONU se torne algo semelhante à Liga das Nações, devemos garantir isso", sublinhou.

Gaza-destruição
Faixa de Gaza. Foto: Twitter-reprodução-Lazzarinio-UNRWA

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados