Recursos dos advogados de Serra na Suíça travaram envio de extratos suspeitos do ex-governador por 2 anos

O Ministério Público Federal da Suíça encaminhou centenas de páginas de movimentações bancárias ao Brasil, permitindo o avanço das investigações de movimentações suspeitas de Serra. O envio dos documentos ficou bloqueado desde o início de 2018 pela ação dos advogados de Serra

José Serra
José Serra (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No início de 2019, as autoridades da Suíça permitiram o envio aos procuradores brasileiros de extratos bancários de movimentações suspeitas de financiamento de campanhas do ex-governador José Serra - são esses documentos que dão boa parte do lastro para a operação desta sexta-feira (3) contra o esquema serrista. Durante dois anos o envio dos extratos ficou bloqueado pela ação dos advogados de Serra e de seus operadores.

O último recurso apresentado pela defesa de Serra foi rejeitado pelo Tribunal Federal do país no dia 18 de janeiro do ano passado. A informação é do portal UOL. 

Após a decisão, o Ministério Público Federal da Suíça enviou centenas de páginas de movimentações bancárias ao Brasil, permitindo o avanço das investigações. O processo que deveria ser rápido levou quase dois anos para concluir, com as diversas tentativas dos advogados de Serra de impedir que as informações chegassem aos procuradores brasileiros, acrescenta a reportagem.

Em uma das tentativas, os advogados de Serra alegaram que o STF reclassificou os crimes do ex-governador e que, portanto, eles seriam "apenas crimes eleitorais". O Tribunal Federal Suíço respondeu que os documentos são "potencialmente úteis para reconstruir de maneira completa o fluxo do dinheiro relacionado a crimes cometidos depois de 2010, que não estão prescritos". Além disso, as autoridades da Suíça destacaram que as decisões adotadas dentro do Brasil não declaram que uma investigação estrangeira deveria ser abandonada.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247