O caso wikipédia

“Restringir informação na Wikipédia é o oposto da Wikipédia”, diz professor Afonso de Albuquerque

Pesquisador e professor da UFF comenta o caso do Brasil 247 e afirma que, “se ‘Wiki’ é um espaço de participação, restringir a participação matou a Wikipédia”

www.brasil247.com - Wikipédia | Afonso de Albuquerque
Wikipédia | Afonso de Albuquerque (Foto: REUTERS/Gary Cameron | Reprodução)


247 - A ideia de controlar a informação é anti-Wikipédia, constata o professor e pesquisador Afonso de Albuquerque, da área de Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF) e coordenador da Rede Conecta, ao comentar o caso em que a plataforma classificou como “fonte não confiável” alguns veículos de imprensa, como o Brasil 247.

Em entrevista à TV 247, Albuquerque fala também sobre a proposta inicial da Wikipédia, quando foi criada - de democratizar o conhecimento para além da universidade -, observou que todo ambiente que “reúne poucas pessoas com muitos poderes” é passível de pressões externas e que a Wikipédia também pode ser fonte de desinformação.

O 247 denunciou, em uma série de matérias, que o editor Rodrigo Padula, que concedeu entrevistas à imprensa em nome da Wikipédia sobre a classificação de fontes, é um ativista político da campanha de Ciro Gomes em suas redes sociais, o que conflita com a proposta de “neutralidade” da enciclopédia virtual, e editou verbetes comerciais na plataforma, como do empresário Fred Trajano e da Lu da Magalu, personagem de marketing do Magazine Luiza.

“A Wikipédia surge com aquele capital de credibilidade, de expectativa em relação àquele potencial de democratização da internet na medida em que o saber sairia do campo apenas dos acadêmicos, de um circuito restrito, de ter de comprar um livro, e passa a ter um acesso mais fácil. E portanto isso seria uma democratização do conhecimento”, lembra o professor da UFF.

“Mas o que acontece, e que acho que esse caso ilustra, é que tudo aquilo que é abundante é [também] fonte de poder, então se você atinge muitas pessoas, você tem esse poder, e como em outros casos - como nas redes sociais -, você tem um número limitado de agentes que capturam o poder de produzir um campo de verdade e passam a exercer em benefício próprio”, prossegue.

Ele alerta ainda para o problema do que define como “controle autoritário da informação”. “A ideia de que nós decidimos que vamos fechar o acesso à Wikipédia é o oposto da Wikipédia, isso é a anti-Wikipédia. Se ‘Wiki’ é um espaço de participação, restringir a participação matou a Wikipédia. Outra questão é que algo que precisa ser discutido inclusive dentro da Wikipédia, que é o de que a plataforma também pode ser fonte de desinformação”, explica.

Para ele, “a universidade é um espaço - não o único - mas é um espaço que tem competência e o dever urgente de discutir quais problemas, quais desafios as mídias sociais, uma plataforma de conhecimento como é a Wikipédia trazem do ponto de vista da democracia”, conclui. A sociedade, em sua avaliação, deve participar ativamente desse debate. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247