Rui Costa Pimenta: esquerda no Brasil está mais perdida que no resto do mundo

O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, fala sobre o golpe na Bolívia e no resto da América Latina e diz que os episódios deveriam servir para a esquerda “sair da atual posição e entender que estamos em meio de um processo golpista”. Assista na TV 247

(Foto: Brasil247 | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O analista político, jornalista e presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, destacou o problema do imperialismo na América Latina após as novas declarações do empresário Elon Musk e da perseguição às lideranças da esquerda, em entrevista à TV 247. No sábado (25), Musk, que é dono da Tesla, confirmou a sua participação no golpe da Bolívia para, ao que tudo indica, roubar o lítio do país, que é o maior possuidor do recurso natural.

Rui disse que a afirmação “comprova coisa que a gente sabe, mas que muitas vezes acaba sendo questionada por setores politicamente mais atrasados da esquerda. Segundo ele, todos os golpes no continente latino-americano foram organizados pelo imperialismo norte-americano. Um dos fatos que comprova isso, diz ele, é a confirmação da participação do FBI - polícia federal do governo norte-americano - na Operação Lava Jato, que perseguiu a esquerda e um setor do empresariado nacional.

Ele lembra que no Brasil os golpistas entregaram a Base de Alcântara e outras riquezas, e assim ocorreu na Bolívia. “Os capitalistas nada mais são que criminosos comuns, ladrões”, afirmou. “Foram à Bolívia, derrubaram o governo eleito, perseguiram e mataram gente, para roubar a riqueza do país”, exemplifica. Isso é o imperialismo, segundo ele, “uma gangue poderosíssima de ladrões”.

O presidente do PCO afirma que o “imperialismo está muito presente orquestrando os golpes” no continente, e isso ficou comprovado “com uma declaração bem explícita de um empresário”. Para ele, isso deveria servir para a esquerda “sair da atual posição e entender que estamos em meio de um processo golpista” e que, portanto, a situação não irá se resolver por meio de “instituições em franco desmoronamento”.

Ele reforça também que o golpe continua em curso em todos os países latino-americanos. Na Bolívia, afirma, está ocorrendo a “segunda etapa do golpe” com o adiamento constante das eleições para manter a usurpadora Jeanine Áñez no poder e não permitir a vitória eleitoral do MAS, partido do presidente deposto Evo Morales.

Da mesma forma, mostrando que o processo golpista é internacional, os recentes ataques contra o ex-presidente Rafael Correa, que foi alvo de novas acusações e teve sua condenação confirmada pela Justiça do Equador, que também cassou partidos políticos de esquerda que apoiam a sua candidatura. O analista avalia que, caso o ex-presidente concorra às eleições, ele ganhará, “igual ao Lula”, que foi alvo de uma fraude para colocar Jair Bolsonaro no poder. “Mesma coisa com Evo Morales”, na Bolívia, comparou.

Desta forma, o golpe continua para manter os golpistas no poder, e assim não irão permitir a volta do PT, de Evo e de Correa, prevê Rui Costa Pimenta. Por isso, ele afirma ser uma “ilusão” acreditar que “vamos recuperar tudo através das eleições”. Para o presidente do PCO, essa ideia “precisa ser combatida” e “é necessário apostar tudo na mobilização popular”. Porém, ressalta, “a esquerda está totalmente desorientada diante da situação”. “No Brasil mais que em outros lugares”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247