Ministério da Saúde afirma que foi alvo de ataque hacker que desestabilizou sistema

Instabilidade em seus sistemas de dados dificultou, no último período, a atualização dos dados da Covid-19 pelo Ministério da Saúde

(Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após dias de instabilidade em seus sistemas de dados, que dificultou no último período a atualização dos dados da Covid-19, o Ministério da Saúde admitiu que foi alvo de "tentativa ataque cibernético".

O ministério diz que não informou antes para preservar provas e garantir a segurança de dados. O secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, disse que sistemas foram restabelecidos, garantindo divulgação de dados, mas "é possível que haja intermitências". 

Segundo Franco, não houve perda ou vazamento de dados.

“Há indícios de que a pasta foi alvo de ataques cibernéticos, embora não haja laudo conclusivo. O ministério teve precaução de não divulgar informações a esse respeito até então para preservar provas e garantir a segurança de dados”, disse o secratário.

“Todas as medidas necessárias para preservar a integridade de sistemas, servidores e de dados do Ministério da Saúde foram tomadas. Portanto, não houve comprometimento, sequestro ou vazamento de informações”, continuou.

Na semana passada, os sistemas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) foram hackeados, impossibilitando o funcionamento do tribunal por cerca de uma semana

Também, perto das eleições, sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sofreram instabilidade. A corte nega ataque hacker e diz que isso não irá interferir nas eleições.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247