'Não saí contente, mas foi um gesto em nome da mudança do país', diz Humberto Costa sobre pré-candidatura em Pernambuco

Mesmo liderando com folga as pesquisas eleitorais pelo governo de Pernambuco, o senador decidiu retirar-se da disputa para viabilizar a aliança entre PT e PSB

www.brasil247.com - Lula, Humberto Costa, Gleisi Hoffmann
Lula, Humberto Costa, Gleisi Hoffmann (Foto: Stuckert)


247 - Liderando com folga as pesquisas de intenções de voto para o governo de Pernambuco, o senador Humberto Costa (PT-PE) decidiu na última semana retirar-se da campanha. O parlamentar abriu mão de sua pré-candidatura para viabilizar a aliança do PT com o PSB. Em entrevista à TV 247 nesta terça-feira (8), Costa afirmou que cedeu 'em nome da mudança no país'.

O PSB, cujo berço é Pernambuco, exigia que o PT o apoiasse para que a sigla, em contrapartida, apoie a candidatura do ex-presidente Lula (PT) à Presidência da República.

>>> Márcio França admite ceder candidatura a governador para Haddad e aliança PT-PSB fica praticamente definida

Segundo o senador, o PSB é um parceiro "estratégico" do PT para a eleição deste ano. "Nossa maior tarefa é criar as condições para que o ex-presidente Lula volte a governar o Brasil para que nós tenhamos cidadania para nossa população. Nós entendemos que o PSB é um aliado estratégico nessa eleição e o PSB exigia como contrapartida a esse apoio ao presidente Lula que em Pernambuco, onde o partido é mais forte, nós pudéssemos apoiá-lo". 

Com a renúncia de Costa, PT e PSB devem ter como candidato ao governo pernambucano o deputado federal Danilo Cabral.

O senador admitiu não ter ficado "contente" com o desfecho que teve sua pré-candidatura, mas reconheceu a importância do gesto. "Não digo a você que saí contente, que não saí frustrado. Tinha uma expectativa muito grande de poder vencer essas eleições, mas saio também tranquilo, porque sei que foi um gesto em nome de algo muito maior, que é a mudança do nosso país".

Para o parlamentar, "candidatura de Lula caminha para ser um movimento cívico que vai opor civilização e barbárie e todos têm que somar".

Questionado sobre o risco de a esquerda, com a candidatura de Cabral, acabar perdendo a eleição em Pernambuco, Costa afirmou que não constará entre os atores a serem cobrados por este fato. "Do ponto de vista histórico, agi como deveria ter agido. Atuei para ajudar a eleger o presidente Lula, que é a prioridade número um do país".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247