Justiça aceita denúncia e Serra e filha viram réus por lavagem de dinheiro

A Justiça aceitou a denúncia da força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal em São Paulo. Ele foi denunciado no dia 3 de julho, quando foi alvo da Operação Revoada, que fez busca e apreensão na residência do tucano

José Serra
José Serra (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O senador e ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) e sua filha, Verônica Serra, viraram réus na Justiça Federal sob acusação de lavagem de dinheiro transnacional, nesta quarta-feira, 29. 

A Justiça aceitou a denúncia da força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal em São Paulo. Ele foi denunciado no dia 3 de julho, quando foi alvo da Operação Revoada, que fez busca e apreensão em sua residência.

A operação apontou que José Serra (PSDB) recebeu da Odebrecht mais de R$ 23 milhões para liberar créditos frente à Dersa em 2009 e 2010. O tucano também recebeu R$ 4,5 milhões entre 2006 e 2007 para gastos de campanhas ao governo estadual.

PUBLICIDADE

De acordo com as investigações, o ex-chefe do Executivo paulista desviou dinheiro durante a construção do Rodoanel. Ele teria usado o cargo para receber da Odebrecht pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras. 

O ex-governador usou uma offshore para esconder o dinheiro. Segundo as apurações, Verônica Serra, filha do ex-governador, constituiu empresas no exterior, ocultando nomes, para receber pagamentos destinados ao tucano pela construtora.
 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email