Renato Freitas defende ato e diz que igreja não foi invadida

De acordo com o vereador pelo PT de Curitiba, a "missa já havia terminado" quando aconteceu a manifestação contra o racismo

www.brasil247.com - Ato em Curitiba e o vereador Renato Freitas
Ato em Curitiba e o vereador Renato Freitas (Foto: Reprodução)


247 - O vereador de Curitiba (PR) Renato Freitas negou nesta segunda-feira (7), pelo Twitter, que a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito, na capital paranaense, tenha sido invadida no último sábado (5). O ato aconteceu em protesto contra as mortes de Moïse Mugenyi e Durval Teófilo Filho, dois homens negros assassinados no estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o parlamentar, a "missa já havia terminado" quando aconteceu a manifestação. "Vídeos sem contexto e informações falsas estão sendo divulgadas a respeito de ato contra o racismo", acrescentou o petista. 

Em nota, o PT do Paraná negou que o partido tenha participado do ato. Também afirmou que o partido é "defensor histórico da liberdade religiosa" e "reconhece na CNBB uma importante aliada no combate ao discurso de ódio e de intolerância que estão impregnados em nossa sociedade".

Arquidiocese condena ato em igreja e vereador pede a cassação de Renato Freitas

O congolês Moïse Mugenyi foi espancado até a morte no último dia 24 na Barra da Tijuca (RJ) após cobrar uma dívida em um quiosque.

Durval Teófilo Filho, de 38 anos, foi morto após levar tiros na barriga do sargento da Marinha Aurélio Alves Bezerra, que confundiu o vizinho com um bandido. 


Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247