Ataque de Bolsonaro a Dilma gerou reação de Lula, Boulos, FHC, Ciro, Maia, Baleia, Miriam Leitão, Huck...

Bolsonaro duvidou e debochou da tortura de Dilma Rousseff durante a ditadura militar e mensagem gerou forte repercussão negativa entre políticos e personalidades de diferentes partidos e espectros políticos

www.brasil247.com -
(Foto: Roberto Stuckert | ABr | Reprodução)


247 - Diversas figuras políticas e importantes reagiram aos ataques de Jair Bolsonaro à ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Dentre elas, os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso (FHC), Ciro Gomes, Rodrigo Maia, Guilherme Boulos, Baleia Rossi, Miriam Leitão, Luciano Huck, entre outras pessoas que criticaram os ataques de Bolsonaro e/ou se solidarizaram com Dilma.

Na segunda-feira, 28, em conversa com apoiadores no Palácio do Planalto, Bolsonaro voltou a defender a tortura e a ditadura militar e debochou das vítimas do regime ditatorial no Brasil.

“O PT sempre falava de tortura de militar, né? ‘Oh, tortura, não sei o quê, perseguição’. Quando foi torturado e executado um cara deles, o PT não quis investigar. Os caras se vitimizam o tempo todo, fui perseguido”, falou Bolsonaro. Sobre Dilma, questionou, entre risos: "dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio-X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio X".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

FHC declarou sua “solidariedade a ex-presidente Dilma Rousseff. Brincar com a tortura dela — ou de qualquer pessoa — é inaceitável. Concorde-de ou não com as atitudes políticas das vítimas. Passa dos limites”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lula escreveu no Twitter que “o Brasil perde um pouco de sua humanidade a cada vez que Jair Bolsonaro abre a boca. Minha solidariedade a presidenta @dilmabr, mulher detentora de uma coragem que Bolsonaro, um homem sem valor, jamais conhecerá”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na Câmara dos Deputados, além da solidariedade de deputados petistas e de esquerda, o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), e seu candidato para substituí-lo, Baleia Rossi, deram seu apoio a Dilma.

Na Cultura, o cartunista Latuff afirmou que “Bolsonaro sempre foi um asqueroso defensor da tortura” e a cantora Teresa Cristina disse que ele, “além de péssimo presidente é um ser desprezível, nojento, minúsculo, um verme”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dilma também reagiu, afirmando que Bolsonaro é um sociopata que não merece a confiança dos brasileiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email