CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

STF reage a relatório dos EUA sobre suposta censura e diz que todas as decisões são "fundamentadas, como prevê a Constituição"

O relatório foi intitulado "O ataque à liberdade de expressão no exterior e o silêncio da administração Biden: o caso do Brasil" e divulgado em meio a ataques da extrema-direita

Alexandre de Moraes e Elon Musk (Foto: Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – O Supremo Tribunal Federal (STF) respondeu, nesta quinta-feira (18), ao relatório divulgado pelo Comitê de Assuntos Judiciários da Câmara dos EUA, controlado pelo Partido Republicano, que expôs decisões de processos sigilosos relacionadas ao bloqueio de perfis e remoção de conteúdos da plataforma X (antigo Twitter), cujo dono é o bilionário de extrema-direita Elon Musk.

O documento, com 541 páginas, foi intitulado "O ataque à liberdade de expressão no exterior e o silêncio da administração Biden: o caso do Brasil". O relatório inclui ordens judiciais enviadas às empresas responsáveis pelas redes sociais, porém não explica as determinações. O órgão aproveitou o embate envolvendo o X de Elon Musk e a Justiça brasileira para criticar Biden.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em uma nota divulgada, a assessoria da Corte esclareceu que "não se tratam das decisões fundamentadas que determinaram a retirada de conteúdos ou perfis, mas sim dos ofícios enviados às plataformas para cumprimento da decisão". O texto ainda ressalta que todas as determinações do STF são devidamente fundamentadas, conforme estabelece a Constituição, e que as partes envolvidas têm acesso à argumentação apresentada.

O presidente do Supremo, Luís Roberto Barroso, afirmou que não irá comentar o relatório divulgado, destacando que “é um problema de política interna dos Estados Unidos”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A comissão parlamentar que produziu o documento é presidida pelo deputado trumpista Jim Jordan. (Com informações da Folha).

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO