Temer diz que Bolsonaro tem 'sido razoavelmente correto' e que 'a democracia não corre risco'

Apesar de defender o ministro Alexandre de Moraes, do STF, e o inquérito das fake news, Temer disse que Bolsonaro tem sido “razoavelmente correto” no governo

Michel Temer e Jair Bolsonaro
Michel Temer e Jair Bolsonaro (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Michel Temer disse em entrevista ao Morning Show, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 24, que Jair Bolsonaro tem sido "razoavelmente correto" no governo. "Eu já sentei naquela cadeira cheia de pregos e sei o que acontece por lá", ressaltou. Ele também disse que aconselhou Bolsonaro a decretar a quarentena "por 12 a 15 dias".

Além disso, Temer também defendeu o inquérito das fake news e o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que conduz o processo, que investiga divulgação de notícias falsas e injúrias de bolsonaristas à corte

Para ele, "são expressões injuriosas, caluniosas ou difamantes, então nessa hipótese está corretíssimo o inquérito". Entretanto, para o ex-presidente, "a democracia não corre nenhum risco". De acordo com o golpista, "as instituições no Brasil estão muito sólidas".

Nesta quarta-feira, após confirmar presença em ato virtual dos “Direitos Já” e ter divulgado vídeo em defesa do evento, Temer anunciou que não iria participar. Ele retirou sua participação ao entender, depois, que a intenção do evento, além de defender a democracia, é criticar o governo Bolsonaro. Por isso, pediu para que sua gravação fosse retirada. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247