Promotoria amplia acusação contra policial que matou George Floyd, que pode pegar até 40 anos de prisão

A acusação do policial Derek Chauvin foi de homicídio de terceiro grau para homicídio de segundo grau, quando há intenção de matar, mas não é premeditado

Derek Chauvin, policial que matou George Floyd em Minneapolis
Derek Chauvin, policial que matou George Floyd em Minneapolis (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Promotoria de Minnesota aumentou a acusação contra o policial Derek Chauvin, que assassinou George Floyd, de homicídio de terceiro grau para homicídio de segundo grau. Com isso, a pena de policial poderá chegar até 40 anos de prisão, 15 a mais do que previa a acusação anterior. 

Homicídio de segundo grau significa que havia intenção de matar, mas que não foi premeditado. Ele matou Floyd sufocado ao ajoelhar-se em seu pescoço durante mais de 7 minutos.

Segundo autópsia, pedida pelos familiares e feita por médicos independentes, o homem de 46 anos foi morto por asfixia. Os outros três policiais envolvidos na morte de Floyd serão indiciados como cúmplices do homicídio.

Na segunda-feira, 1, Chauvin foi transferido para uma prisão de segurança máxima, em Oak Park Heights (Minnesota). Ele havia sido detido na sexta-feira, 29. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email