PGR pede que STF abra inquérito para apurar conduta de Pazuello na crise em Manaus

Procurador-geral, Augusto Aras, atendeu a representações que apontaram omissão do ministro da Saúde e auxiliares durante o colapso do sistema de saúde da capital do Amazonas, onde faltou oxigênio para pacientes hospitalizados na pandemia

(Foto: ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou neste sábado (23) ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de abertura de inquérito para apurar a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante a crise em Manaus (AM).

Aras atendeu a representações que apontaram omissão do ministro da Saúde e auxiliares durante o colapso do sistema de saúde da capital do Amazonas, que registrou falta de oxigênio medicinal em hospitais na semana passada e pacientes chegaram a morrer com falta de ar.

Para o chefe da PGR, é preciso apurar formalmente a conduta do ministro. Como uma das primeiras medidas, ele pede ao Supremo para que Pazuello preste depoimento à Polícia Federal para esclarecer as ações do governo federal, uma vez que o Ministério da Saúde foi informado sobre a iminente falta de oxigênio em 8 de janeiro pela empresa White Martins, fornecedora do produto.

PUBLICIDADE

A crise do oxigênio que começou em Manaus foi registrada depois em outras localidades, como Pará. Pacientes do Amazonas chegaram a ser transferidos para outros estados.Devido ao crescimento de casos e mortes no Estado, o governador do Amazonas, Wilson Lima, vai assinar um decreto para restringir a circulação de pessoas por 24 horas a partir de segunda-feira (25). As pessoas só poderão sair para atividades essenciais, ida ao supermercado e receber atendimento médico.

As medidas serão válidas por sete dias.Com medo do lockdown, a população lotou os supermercados na tarde deste sábado (23). Imagens foram postadas nas redes sociais.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email