Em 'completo desespero', Jovem Pan prepara mais demissões após desmonetização no YouTube

Emissora foi punida com a perda de receitas de anúncios devido à veiculação de desinformação no programa 'Pingo nos Is', com suspeitas infundadas sobre as eleições

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


247 - A Jovem Pan vive "clima de completo desespero" após perder a monetização de todos os seus canais no YouTube e seus executivos já admitem internamente que novas demissões serão "inevitáveis" caso a situação não seja revertida, informa o colunista Gabriel Perline do portal iG.

A emissora era uma das empresas que mais lucrava na plataforma de vídeos online, no entanto, foi punida com a perda de receitas de anúncios devido à veiculação de desinformação no programa 'Pingo nos Is', com suspeitas infundadas sobre as eleições.

Uma onda de demissões já havia acontecido na Jovem Pan após a derrota de Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial deste ano. Nomes como Augusto Nunes, Caio Coppolla, Guilherme Fiuza, Ana Paula Henkel e Carla Cecato deixaram a emissora, que dependia financeiramente do bolsonarismo para obter verbas do governo.

No grupo de trabalho da Comunicação Social da equipe de transição do novo governo Lula, o deputado federal André Janones (Avante-MG) chegou a afirmar, indiretamente, que Jair Bolsonaro teria direcionado R$ 750 milhões à Jovem Pan.

O YouTube, por sua vez, segundo o colunista do iG, era um "pilar importantíssimo" para a sobrevivência da emissora. Ele acrescenta que "a perda desta receita preocupou a todos, desde os funcionários aos donos da rede, que tentarão reverter a decisão da plataforma antes de promover mais uma onda de demissões. Caso não consiga, antes mesmo do Natal a Jovem Pan reduzirá consideravelmente seu quadro de funcionários."

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247