CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Blinken pressionará China sobre suposto apoio a área de Defesa da Rússia

“Demostramos nossa vontade de fazer isso com empresas de muitos países, não apenas da China”, disse ele

Anthony J. Blinken (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos estão preparados para agir contra empresas chinesas que apoiam a guerra da Rússia na Ucrânia, afirmou a repórteres uma autoridade norte-americana, realçando que o secretário de Estado do país, Antony Blinken, vai falar sobre o tema em sua viagem para a China, na semana que vem.

Ao conversar com repórteres antes da visita de Blinken a Xangai e Pequim, de 24 a 26 de abril, a autoridade do Departamento de Estado afirmou que as relações EUA-China estão “em um lugar distinto” do que estavam há um ano, quando os laços afundaram níveis preocupantes após os Estados Unidos derrubarem um suposto balão-espião chinês.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Mas relações melhores não significam que os EUA sacrificarão sua capacidade de fortalecer alianças e defender seus interesses, disse a autoridade.

“Estamos preparados para tomar as medidas que julgamos necessárias contra empresas que minam severamente a segurança tanto da Ucrânia quanto da Europa”, afirmou a fonte quando perguntada sobre o que Washington tinha na manga para convencer Pequim a parar de ajudar a Rússia no conflito.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Demostramos nossa vontade de fazer isso com empresas de muitos países, não apenas da China”, disse, salientando que a Rússia aumentou sua capacidade de produção bélica por causa da ajuda chinesa.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO