Gleisi sobre omissão de Ernesto Araújo com Manaus: 'optou pela ideologia da morte'

"Ernesto Araújo confessa que não se mexeu pra garantir oxigênio em Manaus", destacou a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), em referência ao depoimento do ex-chanceler na CPI da Covid. "A doença dessa gente é a ideologia da morte!", disse

Ernesto Araújo e Gleisi Hoffmann
Ernesto Araújo e Gleisi Hoffmann (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado | Paulo Pinto/Agência PT)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), criticou Ernesto Araújo, após ex-ministro das Relações Exteriores confessar que não teve contato com o governo da Venezuela quando começou a faltar tubos de oxigênio em Manaus. O país vizinho enviou o elemento químico à capital amazonense

"Ernesto Araújo confessa que não se mexeu pra garantir oxigênio em Manaus.  Deixou o povo manauara sem respirar, não pediu ajuda e quando a Venezuela demonstrou solidariedade enviando oxigênio, sequer agradeceu. A doença dessa gente é a ideologia da morte!", escreveu a parlamentar no Twitter.

O ex-chanceler também mentiu e negou ter feito ataques à China, mesmo tendo falado em "comunavírus" e em "vírus ideológico". O ex-chanceler ouviu o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), dizer que o depoente estava mentindo sistematicamente. 

Em seu depoimento, Araújo confessou que ajudou o governo a intermediar a compra de cloroquina, remédio sem eficácia comprovada contra a Covid-19. 

Entre os discursos mais contundentes feitos por senadores esteve o de Kátia Abreu. "O senhor não colocou o Brasil como pária, e sim na posição de irrelevância", disse. "É um negacionista compulsivo, omisso", acrescentou a parlamentar.

Colapso em Manaus

Documentos públicos apontaram que o ministério da Saúde, então comandado pelo general Eduardo Pazuello, sabia do cenário crítico sobre o sistema de saúde em Manaus oito meses antes de ser constatada a falta de oxigênio em hospitais da capital amazonense.

A Advocacia-Geral da União (AGU) também havia informado ao Supremo Tribunal Federal que o governo sabia do iminente colapso do sistema de saúde no Amazonas 10 dias antes da crise

Em outra manifestação, o procurador da República Igor Spindo disse que a causa principal para que o oxigênio faltasse para pacientes de coronavírus em Manaus na última semana foi a interrupção do transporte deste insumo pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email